Nova pagina 1


Você Está Aqui

Morador de São Paulo é internado em Salvador com febre amarela

Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

moradspfamarela

Um homem de 49 anos, que é morador da cidade de Taboão da Serra, em São Paulo, está internado no Hospital Couto Maia, em Salvador, com febre amarela. A confirmação foi feita nesta quinta-feira (11), por meio de exame feito com material do paciente, no Laboratório Central (Lacen), na capital. Conforme a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), o homem chegou à cidade de Itaberaba, a cerca de 290 km da capital, na região da Chapada Diamantina, no dia 5 de janeiro, já com os sintomas da doença. Ainda segundo a Sesab, trata-se de um caso importado, já que o rapaz começou a apresentar os sintomas no dia 2 de janeiro, antes de chegar à Bahia. 

O caso foi informado, inicialmente, ao Núcleo Regional de Saúde de Feira de Santana, que abrange também Itaberaba. Conforme Edy Gomes, coordenador geral do núcleo, o paciente é natural de Itaberaba e chegou à Bahia, de avião, por Salvador. Ele seguiu até a cidade na Chapada Diamantina de ônibus, após embarque na rodoviária da capital. Segundo Gomes, ao chegar em Itaberaba, o rapaz teve uma piora nos sintomas da doença e foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). 

Ele esteve no posto de saúde várias vezes, entre o dia 5 e o dia 9 de janeiro, quando apresentou piora no quadro clínico e foi transferido para Salvador. O estado de saúde do paciente é grave. Ainda de acordo com o coordenador do Núcleo Regional de Saúde de Feira de Santana, o rapaz mora em Taboão da Serra (SP), mas foi para Itaberaba após passar o réveillon e Itapecerica da Serra, também em São Paulo. 

Campanha de vacinação

O Ministério da Saúde anunciou, na terça-feira (9), que a Bahia vai adotar a dose fracionada da vacina contra a febre amarela em campanha a ser realizada em 8 municípios, de 19 de fevereiro, após o fim do carnaval, até 9 de março. A meta é imunizar 3,3 milhões de pessoas. O dia 24 de fevereiro será dia D de mobilização. O mesmo procedimento será realizado nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. 

Na Bahia, 2,5 milhões de pessoas serão vacinadas com a dose fracionada e 813 mil com a dose padrão. Os municípios baianos que receberão a vacinação são: Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Candeal, Itaparica, Mata de São João, São Francisco do Conde e Vera Cruz. Para a campanha de fracionamento da vacina de febre amarela, o Ministério da Saúde informou que vai repassar aos estados 15 milhões de doses fracionadas e 4,7 milhões de doses padrão. 

A adoção do fracionamento das vacinas, conforme o Ministério da Saúde, é uma medida preventiva que será implementada em áreas selecionadas, durante período determinado de 15 dias, pelos estados para evitar a circulação e expansão da doença. Com a estratégia do fracionamento, uma dose que antes era aplicada em uma só pessoa será destinada para quatro. Segundo o Ministério da Saúde, uma mesma dose poderia servir para até cinco pessoas — mas o governo irá trabalhar com uma "margem de segurança". Conforme o Ministério, a decisão tem por base testes da Fiocruz que indicaram que uma dose de 0,1ml (a dose padrão é de 0,5 ml) garante a imunidade por oito anos. 

A pasta informou, também, que a dose fracionada não será destinada a todos. Crianças de 9 meses a até 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids), gestantes e viajantes internacionais vão continuar tomando a dose padrão. A vacinação fracionada é recomendada para pessoas a partir dos dois anos de idade. O público vacinado com a dose fracionada da vacina de febre amarela deverá retornar aos serviços de saúde após oito anos para receber uma dose de reforço. 

A vacina é contraindicada para pacientes em tratamento de câncer, pessoas com imunossupressão e pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo. A vacinação contra febre amarela impede a doação de sangue por um período de quatro semanas. As pessoas devem realizar a doação de sangue antes da vacinação para manutenção dos estoques de hemocomponentes. 

Sintomas

A doença se torna aparente de três a seis dias após a infecção, de acordo com o Ministério da Saúde. Os sintomas iniciais são febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maior parte das pessoas apresenta uma melhora após tais sintomas. Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

Fonte: G1

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Compartilhar