Alunos e professores são recebidos em novas unidades de Camaçari

Camaçari
Ferramentas

Tiago Pacheco Tiago Pacheco Escola do Natal 1

Após o fim do recesso de São João, e para garantir o cumprimento dos 200 dias letivos e das 800 horas/aula do calendário escolar, teve início essa semana o segundo semestre do ano letivo da rede pública de Camaçari para os mais de 37 mil estudantes, nas 102 unidades escolares, distribuídas entre a sede, costa e zona rural.

Para os cerca de 800 alunos da Escola Municipal Denise Tavares, localizada na Avenida Tupinambás (antiga Radial C), bairro da Gleba B, esse retorno está acontecendo de forma peculiar, visto que a referida unidade de ensino está passando por ampla reforma, motivadas pela necessidade de sanar problemas que representam riscos à segurança dos educandos, professores e demais servidores que atuam no equipamento educacional.

Diante disso, os educandos tiveram que ser relocados para duas escolas do próprio bairro, além de um imóvel alugado pela prefeitura, que abrigará os estudantes enquanto durar a reforma. A Secretaria da Educação (Seduc) tem conduzido a situação de forma que o ano letivo dos jovens não seja prejudicado.

Quase a metade dos alunos, cerca de 400, dos turnos matutino e vespertino, das turmas do 6º ao 9º ano das etapas 3 e 4, foi transferida para a Escola Municipal do Natal. O diretor da Denise Tavares, Adenilton Santos, revelou que "o processo de adaptação tanto para alunos, quanto para professores, está transcorrendo de forma tranquila". O gestor destacou ainda a questão do transporte escolar, que também ocorre sem registro de transtornos nesses primeiros dias.

As alunas Kaykane dos Santos, 14 anos, e Yasmim, 15 anos, ambas do 9º ano, falaram que as aulas e os horários estão sendo cumpridos normalmente. Compreensivas, elas disseram, ainda, que entendem que os transtornos são temporários e necessários para que a unidade escolar de origem passe por melhorias. Outro ponto positivo destacado pelas estudantes é a questão da ampliação da rede de amizades, possível a partir da convivência com novos colegas.

Para a professora de História do 8º e 9º ano, Elis Braga de Jesus, é aceitável que toda mudança cause certo tipo de desconforto. "No entanto, a medida encontrada pela prefeitura foi a melhor possível. Pois, a escola é ampla, tem bastante claridade, é muito ventilada e as salas são espaçosas. Tenho certeza que vamos passar esse período muito bem instalados", ressaltou a docente.

Quanto aos alunos do turno noturno, os mesmos estão alocados na escola Professora Maria José de Mattos da Conceição. Os demais estudantes foram instalados no prédio do antigo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), localizado na Avenida 28 de Setembro. A parte administrativa da Escola Denise Tavares permanece de forma temporária no local.

 

 

Fonte: Ascom/PMC

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar