Mais de 150 moradores são atendidos pela Defensoria Pública no litoral de Mata

Mata de São João
Ferramentas

adfec

Atendendo a pedidos, a Unidade Móvel de Atendimento da Defensoria Pública do Estado da Bahia – DPE/BA retornou à cidade de Mata de São João e, na quarta (6) e quinta-feira (7), a parada foi no povoado de Açuzinho, no litoral do município.

Nos dois dias da itinerância, foram atendidos 156 moradores, que foram em busca de resolução dos mais diversos casos, como inventários, divórcios consensuais, acordo de alimentos, dissolução de união estável, direitos de visita e guarda dos filhos, consultas processuais e exames de DNA, para investigação e reconhecimento de paternidade.

“Foi uma itinerância muito produtiva, pois o litoral de cidades como Mata de São João e Camaçari, por exemplo, não contam com os mesmos serviços básicos disponíveis nas sedes. A Defensoria veio para suprir esta ausência de serviços oferecidos pelo Estado em um povoado que apesar de pertencer a uma cidade que tem um trade turístico [Praia do Forte] ainda existem pessoas em situação de vulnerabilidade e que estão distantes da sede. Muitos atendimentos foram resultado das cartas-convites que enviamos no primeiro dia da itinerância e as pessoas atenderam ao chamado e vieram no segundo dia”, observou o coordenador da Unidade Móvel, Marcus Vinícius Lopes de Almeida.

Além do coordenador, esta edição da itinerância da Unidade Móvel contou com a atuação das defensoras públicas Ariana Sousa e Walmary Pimentel, do defensor público Ricardo Carillo e dos servidores de Salvador.

O vereador Agnaldo de Lulu solicitou o retorno da Unidade Móvel reconhecendo as demandas do município. “Devido ao tamanho, nosso município de Mata de São João é dividido entre sede e litoral. A Defensoria vem, pela segunda vez, e, agora, contempla os moradores do litoral. A Unidade Móvel da Defensoria chega, realmente, para interiorizar os serviços da Instituição e alcança os lugares mais distantes da Bahia, minimizando, assim, o sofrimento da nossa gente. É um serviço de excelência! Parabéns à Defensoria por essa sensibilidade com os mais necessitados e muito obrigado!”, agradeceu .

Quem também pediu a presença da Defensoria Pública em Mata de São João, através de uma ligação para a Ouvidoria Cidadã, foi a estudante Elaine Galdina Dias, que precisa resolver a questão do inventário da mãe, falecida há sete meses. “Precisamos fazer este inventário e, como não temos dinheiro para pagar um advogado e arcar com os custos de um processo, liguei para a Ouvidoria da Defensoria e pedi a presença de um defensor público aqui. Há duas semanas, recebi a ligação dizendo que vocês estariam aqui em Mata. Meu pedido foi atendido e a Defensoria veio até aqui”, contou a estudante.

 

Fonte: Mais Região