pesdepsenad7

Uma pesquisa realizada pelo Instituo Datafolha apontou que o Congresso Nacional atingiu o maior nível de rejeição da história recente da Casa. De acordo com o levantamento, realizado nos dias 29 e 30 de novembro, 60% dos brasileiros consideram ruim ou péssimo o desempenho dos atuais 513 deputados federais e 81 senadores.

A aprovação foi de 5%, pior índice já registrado. Em comparação com ou dois últimos levantamentos, feitos em dezembro de 2016 e abril de 2017, que aprontaram 58% de rejeição e 7% de aprovação, o resultado desta pesquisa variou dois pontos percentuais.

De acordo com a série de pesquisas do Datafolha sobre o desempenho dos congressistas, iniciada em 1993, a atual legislatura é, na média, a mais mal avaliada de que se tem registro. Segundo a Folha de S. Paulo, de 2015 até o momento, o índice de reprovação nunca ficou abaixo de 41%.

Fonte: BN

areaverdecanpul

Se a poluição traz problemas de saúde, será que a presença de árvores pode atuar como um escudo contra isso? Essa é uma pergunta que vem sendo investigada em vários cantos do mundo, dentro de uma série de pesquisas que mostram os impactos positivos de ter parques e áreas verdes nas cidades. São trabalhos que apontam benefícios não só para a saúde cardiorrespiratória - os mais evidentes - como também para a melhoria do sistema imunológico, combate ao estresse, incentivo a fazer atividades física e até atenuar doenças mentais.

São Paulo ainda está engatinhando nessa área, mas começa a trazer os primeiros resultados. Um trabalho divulgado na semana passada sugeriu uma correlação entre áreas verdes e mais abertas e menos casos de morte por câncer de pulmão.

O levantamento ainda é preliminar e, como define sua autora, a bióloga Bruna Lara de Arantes, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), "exploratório". Para seu mestrado sobre recursos florestais, ela cruzou imagens de satélite da cobertura verde da capital (e também de prédios e de áreas de gramado) com bases de dados de câncer de pulmão da Faculdade de Medicina da USP. Daí, concluiu que cerca de 17% da variação observada nos casos da doença pode ser explicada pelas variáveis consideradas. Pela análise, a cada 1% de distância do centro da cidade de São Paulo, diminuem 1,56% os casos de câncer. Com aumento de 1% de relvado, diminuem 1,24% os casos; e com aumento de 1% de telhas, aumentaram 6,35% os casos de falecimento.

Não foram considerados, porém, outros fatores que aparecem no estudo com os óbitos de São Paulo (leia mais acima), como os locais de moradia e de trabalho, informações sobre deslocamento pela cidade e estilo de vida, e em especial se as pessoas fumavam ou não - fator responsável por explicar a maior parte dos casos de câncer de pulmão. Segundo dados do A.C. Camargo Cancer Center, 2 entre 10 casos de câncer de pulmão ocorrem em não fumantes. "Trabalhamos com os dados disponíveis em um primeiro momento e, por isso, digo que é uma pesquisa exploratória, mas que já indica uma correlação", afirma Bruna. "A nossa suspeita é de que, além de as árvores ajudarem a filtrar os poluentes, as áreas mais abertas, com relvado (gramado), facilitam a dispersão do material particulado. Como São Paulo é muito verticalizada, isso dificulta a dispersão. Mas o MP é leve e pode ser levado mais facilmente pelo vento onde é aberto. Foi onde vimos menos casos. "A intenção agora é dar sequência a esse trabalho, investigando a incidência de doenças respiratórias, como bronquite, e ver se a proximidade com áreas verdes também tem um fator positivo.

No ano passado, a Organização Mundial de Saúde lançou uma campanha para incentivar a visitação a parques naturais e urbanos como um fator para melhorar a saúde pública como um todo. 

Fonte: Bahia Noticias

assaltojanduim

Mais um assalto a uma fazenda foi registrado na zona rural de Mata de São João, nas mediações da estrada que liga sede ao litoral. O crime aconteceu na madrugada desta quinta-feira (30), por volta das 5h, na Fazenda Lagoa Encantada.

 De acordo com relatos de testemunhas, os criminosos renderam dois caseiros e adentram ao espaço. Os bandidos levaram do local aparelhos celulares, dinheiro, computadores, chaves de veículos e armas.

A ação criminosa aconteceu há 200 metros da Fazenda Janduim, que em outubro também foi assaltada. Saiba+

Um fazendeiro em contato com o Mais Região, fez um apelo às autoridades e solicita uma atenção maior da segurança pública. "Pedimos aos órgãos de segurança mais atenção, pois pagamos nossos impostos e nos sentimos vulneráveis em nosso momento de lazer com nossa família. Os assaltos são constantes e suspeitamos ser o mesmo grupo", relata um morador que preferiu não se identificar. 

O caso foi registrado na Delegacia Territorial de Mata de São João. A polícia investiga a autoria do crime.

Fonte: Mais Região

nvgestaosauipecosta

O complexo turístico da Costa do Sauipe, no litoral de Mata de São João, foi vendido para a Companhia Termas do Rio Quente, de Goiás, pelo valor total de R$ 140,5 milhões, em um processo que terminou na sexta-feira (25). Nesta segunda (27), o Grupo Rio Quente anunciou a compra oficialmente e revelou que pretende obter um faturamento de R$ 240 milhões com a operação do complexo, em 2018, contrariando os R$ 29 milhões de déficit registrados pela antiga administradora Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), em 2016.

Segundo noticiou a reportagem do Correio, a nova gestão pretende manter e capacitar os funcionários hoje no quadro do Complexo. 

Sobre o Grupo Rio Quente

Para aquecer a operação na Bahia, a empresa goiana, que tem 50 anos de experiência no ramo, afirma já ter um planejamento para os próximos seis anos, que inclui uma reestruturação física do complexo, a transferência do modelo de negócio de Goiás para a Bahia, a implantação da operação de venda própria, além de um diálogo com o governo e com a secretaria de turismo. Com a compra do complexo o grupo dobra seu tamanho e se torna um dos maiores do segmento o país. Para 2018, a companhia prevê faturar R$ 675 milhões em Goiás e na Bahia.

“A gente já tinha feito uma pesquisa de mercado para ampliar a nossa rede, que apontava para dois, três estados. No final, ficou Pernambuco e Bahia. A oportunidade de Sauipe surgiu, nós encontramos a possibilidade do turismo e da hospitalidade, além da nova possibilidade de tratar com o público internacional. A Bahia é um destino muito importante no cenário brasileiro. Encaramos como uma grande oportunidade, traremos uma gestão nova, uma outra dinâmica”, comemorou Munir José Calaça, gerente de Experiência Relações Institucionais do grupo Termas do Rio Quente.

Calaça também afirmou apostar em um cadastro de clube de férias do grupo, o Rio Quente Vacation Club, que possui mais de 26 mil famílias inscritas, nos parceiros de vendas de diárias, além da venda própria de passagens que, segundo ele, é uma vantagem competitiva que pode impactar nos valores das diárias.

Prejuízo

O Complexo Costa do Sauipe possui seis hotéis, com 1.564 apartamentos, além de estrutura para eventos de 40 salas e uma arena com capacidade de acomodar até 3.500 pessoas. A aquisição contemplou ainda as 15 quadras de tênis, a área kids e a Vila Nova da Praia. Com a compra, o grupo de Goiás passou a contar com 12 hotéis e mais de 2.700 unidades habitacionais.

O prejuízo de R$ 29 milhões registrado em 2016 foi 26% maior que o resultado já negativo apurado em 2015. A receita operacional líquida cresceu 3,7% para R$ 198,9 milhões, ao tempo que os custos aumentaram 6% para R$ 199,9 milhões. A taxa de ocupação cresceu 1,5% em relação a 2015, devido à demanda do exterior.

O negócio encerrou uma longa fase de dificuldades que a Previ enfrentou em relação ao empreendimento, do qual tentava se desfazer há pelo menos uma década. Há sete anos, algumas ofertas surgiram, como as feitas pela rede espanhola Quail e pelo investidor espanhol Enrique Bañuelos, ambas na casa dos R$ 200 milhões.

Além do prejuízo financeiro no fechamento das contas, uma ação por problemas estruturais na construção do projeto se arrasta na Justiça desde 2008. O pleito é realizado pela Fundação de Funcionários do Banco do Brasil, que pede uma indenização de R$ 242 milhões da Odebrecht, idealizadora e executora do complexo, construído em 1993. A obra foi inaugurada em 2000 e a Odebrecht deixou a parceria do empreendimento há dois anos. 

Para solucionar o problema, a Rio Quente pagará à Previ o equivalente a R$ 3,80 por ação ON e PN da Sauipe S.A., controlada pelo fundo de pensão dos funcionários do BB. São 12,3 milhões de ações ON e 24,6 milhões de papéis PNA, que representam 100% do capital social da Sauipe. Os valores podem sofrer ajustes de acordo com o endividamento líquido e o capital circulante da companhia vendida.

Turismo comemora

O trade turístico baiano comemorou a venda do Complexo Costa do Sauipe para o grupo goiano Termas do Rio Quente. Para o setor, o déficit de R$ 29 milhões foi resultado da má gestão da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), que não possui gestores do ramo hoteleiro. O presidente do Conselho Baiano de Turismo (CBTur), Roberto Duran, afirmou esperar que a nova administradora requalifique o equipamento e agregue valor à Sauipe. 

O presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação (FeBHA), Sílvio Pessoa, explicou que os resorts precisam de uma grande repaginação. “Nos 17 anos, nunca teve uma grande mudança. No máximo foram feitas manutenções preventivas. Eles também não investiam no complexo, não captavam turistas, somente administravam. Nos meus cálculos, acho que eles injetaram mais de R$ 1 bilhão para manter a estrutura em operação”, disse.

Pessoa também vê a necessidade de criação de animações para o local e captação de público do Brasil e do exterior. “Além do complexo ser mal cuidado, muitos funcionários em cargos maiores eram oriundos de São Paulo. É importante que a empresa forme pessoas na região e capacite e utilize mão de obra local. Fazendo um bom marketing, a vinda do grupo será boa pra Sauipe e para a Bahia, com a venda do destino”, previu.

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH - Bahia), Glicério Lemos, o contexto financeiro do país influenciou o resultado econômico do complexo. “Dentro de um contexto geral, foi um momento em que o Brasil passou e que qualquer empresa estava tendo prejuízos. Não foi algo individual de Sauipe. Para alcançar esse faturamento, eles terão que fazer vendas, ter um trabalho maior e ter um direcionamento voltado para os segmentos que querem captar. Quanto mais eles faturarem, mais impostos, mais postos de trabalho gerados e mais geração de empresa”, comemorou.

Fonte: Correio

festgastronpf12

Até o dia 10 de dezembro, a Praia do Forte e o Litoral Norte recebem a 12ª edição do Festival Tempero no Forte, que deixará a região ainda mais especial com uma extensa programação que incluirá aulas de gastronomia, apresentações musicais e contará também com a presença de grandes chefs baianos. O Instituto Invepar e a Concessionária Litoral Norte (CLN) são parceiros do evento.

Inaugurada no dia 23 de novembro pela CLN, a obra da ponte sobre o Rio Jacuípe, no km 32 da BA 099, Estrada do Coco, vai facilitar ainda mais a vida de quem utilizar a rodovia para ir ao Festival, oferecendo mais segurança e mobilidade para os turistas e moradores da região. Na ponte, foram realizadas melhorias para o fortalecimento da estrutura, assegurando a liberação de quatro vias: duas no sentido norte, em direção ao estado de Sergipe e duas no sentido Sul, em direção a Salvador. Cerca de 200 metros foram restaurados.

Para Daniel Ovalhe, diretor de operações da concessionária, "o Festival é um momento importante para toda a região que recebe centenas de pessoas de várias partes do Brasil. Ter uma rodovia limpa, segura e que permite mais fluidez no trânsito para este evento era uma das nossas prioridades". 

clnfestvl

Sobre a CLN

A Concessionária Litoral Norte (CLN), uma empresa Invepar Rodovias, faz a gestão da rodovia BA-099, que compreende a Estrada do Coco e a Linha Verde, conectando Lauro de Freitas até a divisa dos Estados da Bahia e Sergipe, com extensão total de 217 km, entre 183 km de rodovias e 35 km de vias de acesso. A empresa presta serviço para o Governo do Estado da Bahia e é fiscalizada e regulamentada pela AGERBA (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia). Atualmente a Concessionária gera cerca de 300 empregos diretos e indiretos e já repassou mais de 23 milhões de reais em impostos para os municípios da região. 

Fonte: Ascom

fiestasedaacaba

O lançamento do Ford Fiesta reestilizado colocou em xeque o futuro do Fiesta Sedan no Brasil.  O modelo trazido do México ganharia o facelift do hatch ou simplesmente deixaria de ser vendido no Brasil? Parece que a Ford já tomou uma decisão. 

Segundo informações do site Al Volante, a linha Fiesta deixará de ser produzida na fábrica de Cuautitlán a partir de 2018.

Se isso realmente acontecer, o Fiesta Sedan (que voltou ao país há apenas três meses) deixará novamente o mercado brasileiro, agora definitivamente – a primeira vez foi entre 2015 e agosto deste ano, quando houve um hiato na importação do modelo.

Assim, a Ford espera abrir espaço para a fabricação da C-Max, minivan derivada do Focus que deixou de ser produzida em Michigan. A mudança é uma tentativa de resolver a situação da Ford no México. 

A marca vem sofrendo com as baixas vendas naquele país, tanto por problemas administrativos quanto pela exigência de Donald Trump de produzir carros apenas nos Estados Unidos. 

A ordem do presidente fez a montadora cancelar um investimento de US$ 1,6 bilhão para a construção de uma nova fábrica em San Luís Potosí, a qual seria responsável pela produção do novo Focus para abastecer o mundo.

Este papel caberá à China, que também exportará veículos para a América do Norte em um primeiro momento. Posteriormente, unidades fabricadas na Europa serão vendidas nos Estados Unidos.

Fonte: Quatro Rodas

obrasriojacuiconc

Os motoristas que precisam transitar pela BA-099 contam, a partir desta quinta-feira (23), com mais segurança e acessibilidade. Após 120 dias de trabalho intenso, a Concessionária Litoral Norte (CLN) entrega o novo trecho da ponte sobre o Rio Jacuípe, km 32 da BA 099, localizada na região. 

Com as obras, foram realizadas melhorias para o fortalecimento da estrutura da ponte, assegurando a liberação de quatro vias: duas no sentido norte, em direção ao estado de Sergipe e duas no sentido Sul, em direção a Salvador. Cerca de 200 metros foram restaurados desde julho, quando as intervenções foram iniciadas, cumprindo o cronograma programado. 

Para o gerente de operações da CLN, Daniel Ovalhe, "a conclusão das obras é uma conquista para os moradores da região e turistas que terão, além da segurança para dirigir, mais fluidez no trânsito, diminuição significativa no risco de acidentes e contratempos para os usuários da via". 

Sobre a CLN 

A Concessionária Litoral Norte (CLN), uma empresa Invepar Rodovias, faz a gestão da rodovia BA-099, que compreende a Estrada do Coco e a Linha Verde, conectando Lauro de Freitas até a divisa dos Estados da Bahia e Sergipe, com extensão total de 217 km, entre 183 km de rodovias e 35 km de vias de acesso. A empresa presta serviço para o Governo do Estado da Bahia e é fiscalizada e regulamentada pela AGERBA (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia). Atualmente a Concessionária gera cerca de 300 empregos diretos e indiretos e já repassou mais de 23 milhões de reais em impostos para os municípios da região. 

Fonte: Ascom

Mais Artigos...