Especialistas e sociedade camaçariense debatem sobre Suicídio e Prevenção

Saúde

A cada 3 segundos uma pessoa tenta tirar a própria vida. O Brasil é o oitavo país com maior índice de suicídio. Essas e outras informações foram repassadas ao público que compareceu na manhã desta quarta-feira (26), no plenário da Câmara Municipal de Camaçari para assistir à palestra “Suicídio: Ainda Um tema ou tabu?”.

 

palestraam

O evento promovido graças a parceria do site Ação Noticias, Programa Revista Metropolitana e Centro Educacional Carpe Diem, teve entrada gratuita e faz parte do Setembro Amarelo, mês em que é realizada em todo o país, a campanha de prevenção ao suicídio, iniciada em 2015.

“Sabemos que suicídio é tão complexo que a maior parte das pessoas e da mídia prefere evitar o assunto, então o Ação Noticias e o Programa Revista Metropolitana resolveram ir na contra mão deste comportamento e mostrar que esse é um assunto que diz respeito a todos e que se unirmos forças podemos incentivar para uma maior conscientização e assim salvar vidas”, disse Jany Silva, jornalista responsável pelos dois veículos de comunicação e mediadora da palestra.

O evento teve como palestrantes convidados Antônio Mateus Soares, Sociólogo, Professor da universidade Federal do Recôncavo da Bahia e autor de vários livros e artigos, Patrícia Lima, Psicóloga, Mestranda em Neuropsicologia e atua na área de desenvolvimento humano com treinamentos e palestras, além de Lilla Bastos, Enfermeira, Servidora Pública do Município e Life Coach.

palestrapatricia

“Existem grupos mais suscetíveis ao suicídio, pessoas que dão sinais claros e tendenciosos e indivíduos que não dão sinais da doença e atentam contra a própria vida. Precisamos estar atentos, ajudar e buscar profissionais especializados”, revelou a psicóloga Patrícia Lima.

Cada palestrante pôde fazer sua explanação sobre o suicídio por cerca de 15 minutos, depois foi aberto espaço para perguntas por parte do público presente. Várias dúvidas foram esclarecidas durante o debate que durou aproximadamente três horas.

“Saímos daqui com a sensação de dever cumprido, as discussões foram muito boas e a plateia participou ativamente. Esse é o nosso papel, ser solidários para ajudar a salvar vidas”, disse o sociólogo Antônio Mateus.

“Gostei muito da palestra, fiz pergunta e com as perguntas que outras pessoas também fizeram, pude tirar várias dúvidas. Saio daqui com outro entendimento sobre o assunto e mais preparada”, comentou a estudante Juliana Nunes.

 

Ação Noticias

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar