Camaçari sedia Oficina Regional sobre Alimentação Escolar

Educação

aaic

Camaçari recebeu nesta quarta-feira (1°/8) a Oficina Regional para o levantamento da demanda da Alimentação Escolar e da produção da Agricultura Familiar para a boa execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O evento acontece no Teatro Alberto Martins e tem como objetivo conhecer a realidade e as necessidades da alimentação escolar nos municípios da região metropolitana, tendo como base os parâmetros determinados pelo PNAE.

É, em essência, um momento de troca de experiências para que venha melhorar a relação da alimentação nos municípios. A intenção é sair com um panorama para situar em cada município e também no conjunto do território, além de diagnosticar quais ações podem ser realizadas de apoio às cidades para a promoção da compra de produtos oriundos da agricultura familiar.

A oficina é voltada para gestores da educação, nutricionistas do PNAE que atuam nos municípios, conselheiros de alimentação escolar e agricultores, que são produtores. Ou seja, para proporcionar o encontro da oferta de produtos e a demanda que os municípios têm de alocar esses itens nos cardápios.

A realização do evento contou com o apoio da Prefeitura de Camaçari, através da Secretaria de Educação (Seduc), e é realizado pelo Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar (CECANE), da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Na programação, foram realizadas exposições dialogadas sobre Agricultura Familiar no contexto do PNAE e Aquisição de Produtos da Agricultura Familiar para o PNAE no Território Metropolitano, mediados pelos coordenadores técnicos do evento: a nutricionista, Roseni França, e o contador, Raimundo Manoel, respectivamente. A oficina segue no turno da tarde com o tema PNAE e Agricultura Familiar nos municípios: avanços e desafios, mediado pela nutricionista e assessora técnica do CECANE, Lílian Santos, além da avaliação das atividades.

O objetivo do PNAE é garantir o mínimo de 30% de todo recurso enviado para a agricultura familiar. A secretária da Educação, Neurilene Martins, participou da abertura da oficina e falou sobre a experiência de Camaçari. "Em 2017 nós aplicamos 39% do recurso. Temos feito sucessivas chamadas públicas e na última assinamos contrato com 42 produtores locais. Em 2018, seguiremos aplicando mais que o índice, o que além de fortalecer a agricultura, agrega um valor nutricional e cultural na alimentação escolar, que tem uma relação direta com o desenvolvimento integral dos nossos estudantes".

A titular da pasta ainda lembrou que, desde o ano passado, são realizadas formações dos merendeiros e merendeiras para o melhor uso desses gêneros, além do cardápio que é feito pelos nutricionistas adequado a essa realidade, e que as despensas das 102 escolas tem a presença da agricultura familiar.

O coordenador do Programa de Alimentação Escolar em Camaçari, Márcio Tavares, falou sobre o trabalho desenvolvido no município. "Este ano, pretendemos chegar a 60% em recursos financeiros voltados para compra na agricultura familiar. E um evento como esta contribui porque traz novas formas de aquisição, ou seja, vai ajudar a melhorar o que a gente já fez e a chegar ao final de 2021 com 100% dos recursos do FNDE voltado para a agricultura familiar", afirmou.

 

Fonte: Ascom/PMC