Moradores denunciam avanço de construções sobre a Nascente do Buraquinho, histórica fonte de Abrantes

Responsabilidade Social

denunciamfc

Moradores da Fonte da Caixa, em Abrantes, Camaçari, entraram em contato com a redação do Ação Noticias para relatar que bservou-se, há poucos dias, que um pedaço de terra nessa área, antes coberto de vegetação, foi totalmente desmatado, como se alguém pretendesse construir ali. Os moradores estão apreensivos e pretendem barrar o avanço, com o objetivo de proteger a área da nascente.

Cacimbas

Construções próximas à nascente de rios não são permitidas porque destroem a vegetação que protege a zona de recarga da nascente e, se isso acontece, a nascente seca. Nesse lugar, especialmente, não se deveria construir, pois se trata de Área de Preservação Permanente (APP), ao pé das dunas.
A comunidade de Fonte da Caixa dá muita importância à fonte das lavadeiras, um lugar histórico, em que ainda existem antigas cacimbas, de onde se extrai água límpida, transparente, que matou a sede de muitas gerações de moradores da localidade.

A água da fonte das lavadeiras provém das dunas. As dunas protegem os grandes lençóis freáticos que estão embaixo das areias.

denunciamfc2

Centro Comunitário de Educação Ambiental

O presidente da Associação Cultural e Inclusão Social (Acis), Marcos Anunciação, pediu o apoio da AVP, representada na ocasião por esta repórter, para denunciar o avanço das construções e o desmatamento resultante disso, como forma de ajudar a comunidade de Abrantes a deter a agressão ambiental.
A Acis obteve um terreno na região e sonha em construir ali um Centro Comunitário de Educação Ambiental para receber ambientalistas, pesquisadores, professores e moradores da região interessados na preservação não apenas das dunas, como dos cursos d’água, da vegetação nativa e da numerosa fauna da região.

Rede de vigilância

Segundo descreveu Marcos, em entrevista à nossa página, o centro será uma unidade autossuficiente, construído de madeira de eucalipto e abastecido por energia solar. A água que utilizaria seria retirada da própria Fonte das lavadeiras. A unidade não descartaria esgoto: os resíduos sólidos seriam tratados para se transformarem em adubo.

O centro também funcionará como ponto permanente de reunião de ambientalistas, vigilantes e moradores da região, que criariam uma rede de informação em tempo real sobre o que acontecesse nas dunas e em outros locais a fim de intervir para impedir ações de degradação ambiental

 

Com informações da jornalista Ana Maria Mandim/AVP

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar