As tecnologias que ajudam no tratamento da queda capilar

Moda e Beleza

aquda

Aparelhos de uso doméstico
No Brasil, eles ainda estão engatinhando, mas lá fora os gadgets de saúde e beleza já são bem crescidinhos. Para estimular o crescimento dos fios, um dos mais famosos é o HairMax, uma espécie de arco de laser de baixa intensidade que aumenta o fluxo de oxigênio e nutrientes para os folículos, estimulando a saída de fios mais saudáveis.

Minoxidil
A substância é uma das mais prescritas por dermatologistas quando o assunto é tratamento tópico, por ter eficácia comprovada no estímulo do crescimento capilar. Por causa das queixas de que ele deixa o cabelo ressecado, já existem novos veículos com a proposta de diminuir esse efeito, como a espuma, por exemplo.

Microagulhamento
Semelhante ao procedimento que é feito no rosto, um aparelho faz microperfurações na pele do couro cabeludo, causando uma “ferida” que, para cicatrizar, acaba recebendo do próprio corpo substâncias que estimulam o crescimento capilar. Muitos médicos potencializam os efeitos dessa técnica com a infusão de medicamentos. Uma máquina, semelhante às de tatuagem, entrega os remédios pela agulha na derme, exatamente no lugar onde eles devem atuar.

Lasers
Assim como os outros recursos acima, eles funcionam como coadjuvantes na melhora da queda e aumento do volume capilar. Geralmente, os mais usados são os lasers de baixa e média potência, que vascularizam a região e tratam possíveis inflamações no folículo capilar que estejam comprometendo a saída da fio, aumentando a chance de crescimento saudável. Antes de começar o o tratamento com essa e outras opções, é importante ter um diagnóstico médico. Hoje em dia, eles contam com a ajuda de diversos tipos de aparelhos que fazem contagem de fios, medem espessura e enxergam a aparência da raiz de forma aumentada e objetiva.

Hairstetics
A mais recente tecnologia de implante capilar utiliza fios de náilon cirúrgico, idênticos aos de humanos, implantados no couro cabeludo a partir de um sistema de ancoragem que utiliza material semelhante ao usado em stents cardíacos, ou seja, materiais biocompatíveis, com pouco risco de rejeição. Os cartuchos são carregados com 12 ou 25 fios da cor escolhida pelo médico e pela paciente e, com a ajuda de uma espécie de “pistola”, o especialista implanta os cabelos do cartucho de forma rápida e pouco invasiva, utilizando apenas anestesia local.

 

Fonte: Agência O Globo

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar